7 erros típicos em uma dieta baixa em carboidratos

Erro 1: Carboidratos ocultos

Para entrar e manter nosso corpo em estado de queima de gordura, devemos consumir pouca quantidade de carboidratos. Por isso, é muito importante detectar os carboidratos que estão escondidos na maioria dos alimentos industrializados, no rótulo.

Muitos alimentos "sem glúten", "sem açúcar", "light" ou "com baixo teor de gordura" tendem a conter açúcares ocultos, às vezes com nomes muito incomuns, como xarope, xarope, amido, maltose, dextrose, frutose, sacarose, sucralose, maltodextrina, etc.

Saber como detectar quais alimentos não contém açúcar é fundamental para colher os benefícios da dieta cetogênica. Seja um leitor assíduo de rótulos!

Recomendo que você leia bem TODOS os rótulos dos alimentos e sua composição nutricional ou, melhor ainda, evite a maioria dos alimentos embalados e tente fazer sua dieta mais baseada em alimentos reais, desembale menos e descasque mais!!!


Erro 2: Comer MUITA proteína

As proteínas desempenham um papel fundamental no organismo.

São responsáveis ​​pela reparação dos tecidos, pela manutenção da massa muscular, contribuindo para o bom funcionamento do nosso imunológico, e constituem a estrutura do nosso DNA. Somos proteína (em grande parte)!

O lado negro de consumir muita proteína é que ela ativará a insulina.

O fígado, diante de uma carga muito alta de proteínas, irá convertê-las em glicose por meio da gliconeogênese. E estaremos interessados ​​em manter a insulina e a glicose sob controle.


Então, quanta proteína você tem?

A título de orientação, entre 1,5g / kg e 2,2g / kg do seu peso corporal são valores seguros para a maioria das pessoas. Isso significa que 2-3 porções de proteína por dia serão suficientes.

E sempre procure comer proteínas em carnes magras e ovos, caso seu objetivo seja emagrecer. Calorias TAMBÉM são importantes. Vou falar mais a respeito mais abaixo.


Erro 3. Comer muitas vezes ao dia

Fomos ensinados a comer 5 a 6 vezes ao dia, para evitar uma queda na glicose e ficar sem energia. Em um nível evolutivo, isso não faz sentido. Nossos ancestrais passavam horas e até dias em longos períodos de jejum. Eles só comiam quando havia comida e isso geralmente não era cinco vezes ao dia! Voltar ao costume de nossos ancestrais, é a forma mais saudável de se livrar dos riscos das doenças metabólicas como diabetes tipo 2, colesterol alto, etc.


Não se trata de comer uma vez a cada três dias. Mas comer duas ou três vezes ao dia e até jejuar de vez em quando nos ajudará a entrar e permanecer na cetose (estado de queima de gorduras), além de proporcionar vários outros benefícios à nossa saúde.


Erro 4. Comer pouca gordura ou de baixa qualidade

Em uma dieta de baixos carboidratos, cerca de 60% das nossas calorias diárias será baseada em gordura. Assim como as proteínas, as gorduras são vitais para o bom funcionamento do corpo. Porém, não estamos falando de queijos processados, nem de margarina, muito menos de gorduras trans!

Escolha comer uma quantidade suficiente de gorduras e tente obtê-las principalmente de fontes animais: carnes de qualidade, peixe fresco, manteiga ou ghee, ovos, nozes, amêndoas, avelãs, azeitonas, abacate ou banha de porco.





Erro 5. Deficiência de sódio

Um dos mecanismos pelos quais a dieta cetogênica funciona é porque os níveis sanguíneos de insulina são reduzidos. Esse hormônio, entre outras funções, é responsável por fazer com que os adipócitos (as células que constituem nosso tecido adiposo, famosas gordurinhas localizadas) acumulem mais gordura. No entanto, a insulina também diz aos rins para reter sódio.

Com uma dieta cetogênica, nossos níveis de insulina diminuirão e nosso corpo começará a eliminar o excesso de líquido e o sódio junto. Mas esse processo tem uma pequena desvantagem. O sódio é um eletrólito fundamental para muitas funções celulares e ao eliminá-lo em excesso podemos ter problemas.

De fato, a gripe lowcarb (dor de cabeça, tontura, cãibras, fadiga, prisão de ventre ...) é típica em pessoas que iniciam uma dieta cetogênica e não leva em consideração a reposição dos níveis de sódio necessários.

Se quisermos evitar essa desvantagem chata, basta adicionar um pouco de sal às suas refeições, além de beber MUITA ÁGUA!!


Erro 6. Não comer fibra suficiente

Os vegetais nos fornecem as vitaminas e os minerais necessários para o bom funcionamento do corpo. Além disso, a saúde de nossos intestinos é muito importante. Portanto, forneceremos a fibra vegetal necessária e assim alimentaremos nossa microbiota intestinal para que ela cuide de nosso sistema digestivo e do resto do corpo.

Comeremos principalmente vegetais de folhas verdes, pois são os que têm mais fibras e menos carboidratos. Por outro lado, devemos ter cuidado com alimentos como cenoura, beterraba, batata ou batata doce, pois são ricos em carboidratos. Antes de adicionar um novo alimento, vamos nos certificar de que seu teor de carboidratos é baixo.


E, se você sofre de Síndrome do Intestino Irritável (SII), eu o aconselho a reduzir os vegetais ricos em FODMAPs para melhorar sua condição e você pode ficar em cetose com mais tranquilidade.


Erro 7. Cortisol e estilo de vida

Existem vários fatores que determinarão a perda de peso e a manutenção de uma boa saúde. Não adianta seguir uma dieta low carb, ou qualquer outra dieta, se você não cuidar de outros aspectos de sua vida. É sempre importante permanecer ativo e exercitar-se, mas ainda mais durante a cetose. (Os ácidos graxos, que são as gorduras, liberados pela própria ação da dieta low carb precisarão ser oxidados na mitocôndria. Na maioria das vezes, o metabolismo basal será insuficiente para oxidar todos esses ácidos graxos e, portanto, será essencial aumentar a atividade física).

Dê um passeio, suba as escadas, pratique esportes. Em suma, mova-se mais e melhor.

Outro ponto importante é o descanso. Dormir sete ou oito horas é o suficiente para a maioria das pessoas. Além disso, o estresse físico e emocional, junto com a baixa glicose no sangue e a falta de carboidratos, podem aumentar os níveis de cortisol.

Isso pode diminuir a produção de testosterona, IGF-1 e aumentar a produção de T3 reverso, desacelerando o metabolismo e reduzindo, até mesmo bloqueando, a perda de gordura.

Portanto, controle o estresse, faça atividades prazerosas, ria, medite, passeie, leia, passe tempo com as pessoas que você ama, ama e vive a vida.


Mantenha esses sete pontos em mente ao planejar sua dieta low carb, e, sem dúvida, você se sairá muito melhor.

De qualquer forma, se você quer emagrecer ou tem algum problema de saúde, recomendo que vá a um profissional que irá orientá-lo sobre o melhor tratamento para você!

7 visualizações0 comentário
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • Instagram - White Circle